Fluxo de consumidores em lojas cai 2,26% em fevereiro, segundo pesquisa

Por Equipe FX em 20.03.2020 às 12h15

Compartilhe

Vendas de carnaval: movimento de clientes foi menor em fevereiro, mas houve aumento do volume financeiro

movimento de clientes em lojas brasileiras caiu 2,26% em fevereiro, na comparação com mesmo período do ano passado, segundo o Índice de Performance do Varejo (IPV), realizado em conjunto pela FX Retail Analytics, empresa especializada em monitoramento de fluxo para o varejo, e pela F360º, plataforma de gestão de varejo para franquias, pequenos e médios varejistas. Segundo a pesquisa, o resultado ainda não é reflexo do avanço do coronavírus, mas pode estar ligado ao período de fechamento de lojas e feriado durante o carnaval.

Embora o movimento de circulação tenha sido mais fraco, os dados do IPV mostram não houve impacto negativo no caixa dos varejistas. Pelo contrário, o indicador foi positivo na comparação com fevereiro de 2019.

No total, as lojas brasileiras tiveram um aumento de 22,31% no volume financeiro negociado e de 5,71% no total de vendas. Para especialistas, o resultado positivo em receita está ligado a dois fatores: aumento do tíquete médio por cliente e o desempenho elevado de alguns setores como o de Beleza, que sustentaram o crescimento de vendas.

— Fevereiro contou com o carnaval, uma oportunidade de atrair mais consumidores nas lojas, mas os indicadores mostram que o resultado não foi positivo no sentido de atrair a clientela. Somente o segmento “Beleza” obteve resultado positivo, o que se relaciona com o período de festas — explicou Eduardo Terra, presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC).

Entre os segmentos, os melhores desempenhos na comparação com fevereiro de 2019 foram de home center e moda, que cresceram 5,84% e 1,2%, respectivamente. A categoria ótica caiu 1,99%, enquanto utilidades domésticas e beleza tiveram quedas de -3,42% e -3,57%, respectivamente.

Em receita, o melhor desempenho foi das lojas da região Norte, com 32,15%. O Sudeste e o Sul também tiveram aumento significativo, com 27,4% e 23,83%, respectivamente. O Centro-Oeste teve um ligeiro crescimento de 0,64%, e o Nordeste teve recuo (13,14%). No total de vendas, o Sul cresceu 16,33%, seguido por Norte, com 10,18%, e Sudeste, 6,47%. O Centro-Oeste caiu 11,35%, e o Nordeste recuou 12,73%.

Movimento em shoppings também cai

O IPV também traz os dados do Índice de Visitas a Shopping Centers (IVSC), com fluxo de consumidores nos centros de compras. No total, o indicador de fevereiro de 2020 caiu 5,03% em todo o país, em relação ao mesmo período do ano anterior. A região Norte teve aumento de 2,97%, mas o Sudeste teve queda de 1,23%, seguido por Sul, com -3,2%, e Nordeste, com -3,72%.

— Assim como janeiro, o mês de fevereiro é historicamente fraco para o varejo brasileiro. Apesar disso, algumas regiões e segmentos ainda conseguiram números positivos, além do volume financeiro maior. Isso indica que apesar das quedas, o consumo continua crescendo e mostra que, apesar do consumidor estar menos frequente no estabelecimento físico, ele compra mais quando faz esse deslocamento — explicou Flávia Pini, CEO da FX Retail Analytics.

Leia na íntegra neste link.

Esse material também foi divulgado em:

ABC da Comunicação

Monitor Mercantil

© 2020 FX - Retail Analytics - Todos os direitos reservados.